Sunday, March 26, 2006

Poder Legitimizado

Algum psicanalista já deve ter pensado no que eu vou dizer, e deve ter dado um nome apropriado pro conceito. Como eu não sei de nada disso, eu decidi chamar isto em que eu pensei de "poder legitimizado". Funciona assim:
"Sempre que existir algum conjunto de circunstâncias que permita que uma pessoa, ou um grupo de pessoas, exerca alguma forma de poder sobre outrém, este grupo vai invariavelmente abusar do dito poder para proveito próprio, sem necessariamente respeitar a condicão daqueles que estão subordinados a ele."
Bom. Um pouco de explicacão. Eu resolvi chamar isto de poder _legitimizado_ porque uma parte importante do conceito é o fato de que esta posicão de poder deve ser reconhecida pelas pessoas à volta do executor. Como todas as regras de comportamento humano são "fiscalizadas" somente por opinião alheia, é importante que a "peer pressure" ao redor deste poder o considere legítimo. Isto é, que as pessoas ao redor da situacão como um todo concordem com o direito da pessoa ter este poder. A partir daí, surgem conseqüências absolutamente incríveis, que revelam muito sobre a natureza humana. Todos os exemplos, e invariavelmente todos, acabam descambando para abuso de poder. Este abuso pode vir de formas malignas ou benignas, obviamente, dependendo da gravidade do contexto. O comportamento social de criancas, apesar de exibir esta faceta, não deixa marcas permanentes em ninguém. Políticos abusando de suas imunidades, ou militares sendo excessivamente violentos, por outro lado, podem ter efeitos negativos muito fortes em outras pessoas.
O que eu quis mostrar aqui na verdade é uma nuance da natureza humana. Ou seja, acho que é muito importante que nós nos demos conta de que as pessoas _são_ assim. Ou seja, se forem dadas as oportunidades, os seres humanos _irão_ indubitavelmente abusar do poder que receberem. E não adianta fechar os olhos para este comportamento "instintivo" e querer que uma sociedade funcione. Devemos basear os modelos de educacão no fato de que os humanos _nascem_ com esta tendência, e que devemos portanto tentar, com o desenvolvimento dos infantes, amenizá-la ao máximo. Pois obviamente ninguém deseja uma sociedade sem regras onde as pessoas se matem livremente pela rua.
--- Seção "Do dia" ---

Música do dia:
Pink Floyd - Several Species of Small Furry Animals Gathered together in a Cave and Grooving with a Pict
Piada do dia:
Fato imbecil do dia:
Frase do dia:
"Defina o menor número inteiro que não pode ser expresso por nenhuma frase com menos de 1000 caracteres."
- G. Berry

13 Comments:

Anonymous norma said...

Nando
Custei muito para concordar com tua teoria... Mas cada dia que passa a postura das pessoas me mostra que tu tens mesmo razão. Mas resta à nós pais e educadores tentar criar um pouco mais de valores e compaixão na cabeça dessa geração que está por aí, porque, senão, vamos acabar numa selva, onde vai predominar o instinto animal! BJS

12:08 PM  
Blogger Paulo Becker said...

Nossa eu não acredito que TUDO aquilo seja o nome da música. Deve ser o refrão. Só pode.

Eu concordo quando você diz que os seres humanos possuem uma tendência natural de tentar se aproveitar dos outros (no contexto do teu texto - blergh - assumindo a forma de abuso de poder). Ela provavelmente vem láááá da pré-história, com a constante competição por comida e parceiros sexuais, e provavelmente pode ser explicada por alguma teoria selfish gene-like que eu não estou apto a elaborar por enquanto :) Mas acredito que seja impossível amenizar essa tendência, principalmente se ela estiver mesmo tão hard-coded na nossa "essência".

4:39 PM  
Anonymous Jorge said...

Todos as espécies exibem algum grau de competição (disputa) pela sobrevivência (o modelo de Darwin ainda explica bastante bem o que se observa por aí). Até aí não tem abuso algum; isso é a vida e o processo de aprendizagem/evolução. Se essas disputas exacerbam-se ao ponto de matar mais do que a parcela menos apta, e começa a dizimar também os aptos, então a espécie em algum tempo se extingue. Aqui dá pra encravar o conceito de abuso, na medida que a espécie exagerou no mecanismo de controle/evolução. Quem exagera é tão abusado quanto quem deixa exagerar. A maior inteligência/esperteza/aptidão provavelmente inclui limites na competição, ou pelo menos um certo grau de cooperação mútua, junto com as iniciativas individuais. Acho que amenizar ao máximo as iniciativas individuais levaria a espécie à extinção por estagnação do processo evolutivo.

7:22 PM  
Blogger Felipe said...

Bom, o assunto é interessante e pede um pouco de ampliação. Sobre o poder, podemos dizer que ele surge de várias formas, entre elas:

- posição de liderança
- educação
- senioridade
- sabedoria ou habilidades
- facilidade em relacionamentos interpessoais, carisma
- amizade
- sexo
- raça
- nacionalidade
- aparência física

Outra premissa básica é que para que exista o exercício de poder, são necessárias pelo menos duas pessoas, pois não se pode exercer poder sobre o nada. O abuso de poder surge quando a diferença de força entre as partes se torna tão brutal, seja esta diferença real ou imaginada, que as rédeas morais desaparecem por falta de uma sensação de conexão com o dominado, que se deshumaniza.

É sabido que existem vários fatores para o desaparecimento dessas rédeas. O principal deles, curiosamente, é a ausência de uma figura superior de controle. Além disso, temos a impossibilidade de responsabilização pessoal (se não vou ser punido, posso barbarizar à vontade), situações que autorizem o desligamento moral (situações de guerra, por exemplo). Enfim, quase todas as pessoas, dadas as circunstâncias corretas, são capazes de cometerem atos cruéis e de abuso de poder.

Alguns podem se perguntar, porque o dominado não se rebela? Sozinho, o medo controla o indivíduo a maior parte das vezes. Mas, e um grupo? Se muitas pessoas se juntassem, qualquer poder poderia ser subjugado. No entanto, pesquisas demonstram que grupos sofrem de um mal chamado de diluição de responsabilidade, e ocorre que as pessoas em um grupo tendem a não agir, por todas ficarem esperando que as outras tomem alguma atitude. Dessa forma, temos os dominados engessados sejam eles sozinhos ou em grupos, o que ajuda para perpetuar e potencializar a situação de abuso de poder.

Como eu disse antes, assunto é muito bom e pede uma discussão mais prolongada. Continue-se!

11:36 PM  
Anonymous Jorge said...

Oba! Aí tem "sustância", Felipe! O comentário tem uma boa dose de conhecimento de Humanas... Os pontos da ausência do superior (posso barbarizar à vontade) e da diluição da responsabilidade (imobilismo coletivo) são notáveis! Imagino que tanto o superior ausente quanto o coletivo imobilizado só se rebelarão para coibir o abuso de poder a partir de sua iluminação (dos abusados, claro). E imagino, também, no caso do imobilismo coletivo, que os abusados que por ventura se iluminarem serão perseguidos pela turba ignara, para deleite do abusador... Como se explica tal comportamento?

8:03 PM  
Blogger Felipe said...

curiosamente, este último comentário da turba ignara me lembrou um experimento realizado com macacos.

Eram colocados 5 macacos em uma jaula, com uma banana pendurada no teto e uma cadeira embaixo. Quando um macaco tentava subir para pegar a banana, todos levavam mangueiraços de água gelada.

Assim, retiraram o primeiro macaco, e colocaram um outro que não sabia de nada. Ele prontamente subiu para pegar a banana, e antes que pudesse fazer qualquer coisa, os outros quatro agarrarem ele e deram-lhe uma surra.

Outro macaco foi retirado, e substituido por um novato. A mesma situação se repetiu, e o primeiro substituto, que nem sabia porque apanhou, participou da surra do segundo novato.

Assim, foram trocando todos os macacos, até que não restasse nenhum que tivesse levado um mangueiraço de água gelada. No entanto, qualquer um que tentasse pegar a banana, levava uma surra.

É um exemplo clássico de condicionamento que se repete muitas vezes nas sociedades humanas, em graus mais complexos, mas que basicamente se resume a uma frase:

"Mas as coisas por aqui sempre foram assim..."

1:30 PM  
Anonymous Jorge said...

É por isso que mudar é bom; não é considerada como uma boa idéia restringir ao máximo as iniciativas individuais, como fizeram os macacos. É por isso, também, que esse tipo de conhecimento (humanas) precisa ser apreciado simultaneamente com o conhecimento científico (exatas).

Cadê a réplica, tréplica, etc., do dono do blog???

8:00 PM  
Blogger Felipe said...

an update is due. a good comment works, too. too bad on the busted HD.

1:34 PM  
Blogger Felipe said...

update is due

12:16 AM  
Blogger Felipe said...

update is due...

12:30 AM  
Blogger Felipe said...

update is due......

11:47 PM  
Blogger Felipe said...

update is dueeee!!!

10:27 PM  
Blogger Felipe said...

oh fuck me! Fica indo pra praia ao invés de fazer update.

UPDATE IS DUEEEEEE !!!! DAMNIT CARL!

12:23 AM  

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home