Monday, August 08, 2005

É engraçado...

como as coisas perdem o contexto, com o passar do tempo. Eu já notei isso mais de uma vez, mas hoje me brotou uma idéia que acho que vale a pena escrever. Estava eu tomando banho alguns minutos atrás, e me lembrei de quando eu era menor (bem menor) e brincava no banho. É, aquelas bobagens bem de criança sabe? Eu pegava o shampoo e misturava com sabonete, diluia na água, e ia vendo essa alquimia toda acontecer ao meu redor. As vezes eu chegava até a misturar com pasta de dente, para ver o que acontecia. Claro que no final das contas eu passava o shampoo nos cabelos (não com pasta de dente né!), mas uma parte não desconsiderável da...substância... ia ralo abaixo. Tudo belo bem da ciência, obviamente. Eu me lembro que uma das coisas que eu mais temia naquele tempo era que se alguém algum dia descobrisse tamanho "desperdício", eu seria castigado para todo o sempre, e que minha vida nunca mais seria igual. Eu pensava assim naquela época, e vejo hoje que na verdade foi tudo uma grande besteira ter esse medo todo. Hoje eu vejo que foi besteira, mas na época o medo parecia muito palpável e sensato. Tudo bem, de repente em toda minha infância eu tivesse economizado um vidro de shampoo se não brincasse desse jeito, mas eu acho que era tão divertido que valeu a pena. Outro exemplo: Quando eu não fiz os temas na segunda série, acho, e minha mãe ficou sabendo. O mundo tinha vindo abaixo! Eu nunca mais ia ganhar mesada, iria... pegar recuperação! (nada disso aconteceu, obviamente, fora na minha mente). Hoje eu falo a todos que quiserem ouvir: Não faço meus temas no colégio (inclusive os professores sabem disso) e não me considero menos homem por isso.

A moral disso tudo não é o vidro de shampoo e nem meus temas de segunda série. O que eu me dei conta é que de repente seja assim com todos os nossos medos (me avisem se eu tiver caindo para o mundo da auto-ajuda que eu largo o teclado agora!). Quem sabe (eu digo quem sabe porque eu realmente não sei) tudo que a gente teme agora vai virar bobagens daqui uns anos, conforme nossa vida vai ficando cada vez mais complexa. Não tem nenhuma solução fácil, é claro, pois a cada idade nós teremos os medos característicos (Vestibular -> faculdade -> carreira -> família -> cabelos -> forma física -> controle urinário -> cor do paletó de madeira), mas eu acho que se a gente souber que estes medos são bobagens a longo prazo, enfrentá-los talvez não se torne tão difícil, pois afinal de contas será sempre uma questão de tempo. Sempre.

PS: Onde estão meus leitores?? Comentários são legais de vez em quando, ainda mais com textos assumidamente bregas e mela-cuecas como o daí de cima... :)
--- Seção "Do dia" ---

Música do dia: Graforréia Xilarmônica: Mixto Quente

Piada do dia:
-Terminei finalmente seu mapa astral.
-Serei rico?
-Sim. E com o Sol em Vênus você se casará com uma loira peituda e gananciosa...
-Na igreja!
-Tenho que ir. São 730 reais mais o custo de pessoal treinado...
-Que importa? Lhe farei um cheque de 1000!

(www.malvados.com.br)
Fato imbecil do dia: Nada. O mundo ao meu redor anda sério demais...
Frase do dia: "Existir, velhote, é uma coisa muito séria."
Érico Veríssimo

8 Comments:

Blogger Felipe said...

O pior é que isso é uma realidade absurda... os medos que nós tinhamos vão se desintegrando, e não só as preocupações mudam para outras que já imaginamos que vão aparecer (controle urinário, etc...), mas ainda por cima aparecem outras que nem imaginávamos.

Pois é, a vida é apertadinha...

(São os médicos, são os médicos)

12:05 PM  
Blogger Adriana PS said...

Eh que seus posts sao tao profundos que fica dificil comentar :P

Ah...eu brincava com o xampu tambem, foi a unica vez que levei uma palmada na minha vida, mas isso eh outra historia.

Mas eh verdade, temos alguns medos que depois parecerem bobos. Por isso eh sempre importante encarar nossos medos, e nao fugir.

3:27 PM  
Anonymous Jaque said...

Ahhh que gracinha, imagina o luiz pensando que iria ser castigado, tirado a mesada.... q amor, uma crianca inoscente... pq agora nao encontro mais um pingo de inoscencia nesse menino... hahahhahaha to brincando :)

bom tu sabe que eu te adoro e que tu pode conta comigo sempre! Mesmo pra pergunta o tel do mc donald's delivery ou cachorro quente do rosario, ou outra comida neh!? hahahahha
Eu sabia o tel dessas comidas pelo acaso... convenci?! hahahahahah Beijos

12:27 PM  
Anonymous jorge said...

Pois é; a gente vai ficando velho e vai descobrindo quanta bobagem a gente temia e que é muito melhor encarar do que fingir que a coisa não existe e coisa e tal... Alguns se dão conta disso com 17, outros com 51, alguns vão na base da auto-ajuda, alguns com ajuda dos outros ou na marra. O que importa é encontrar um caminho onde a saúde - não só a física - se mantenha em dia. E, é claro, trilhar o tal caminho, mesmo sob protestos, palmadas ou seja o que for, daqueles que enxergam mais o próprio umbigo.

9:07 AM  
Blogger Felipe said...

Inocência é com C, e não com SC, né? Vamo pará com esse negócio de escrever errado?

12:14 AM  
Blogger Tukanos said...

Meu! É tão legal ler os teus posts que não encontrei onde escrevestes inoscência...
E é muito legal ler uma frase do Érico, mas veríssimo é o sentimento que passas nos teus pensamentos!
Eu não me lembro mais o que eu fazia no chuveiro aos meus 10 anos, mas certamente não brincava com shampoo...não existia naquele tempo :O
A vida é muito legal! É lindo ver vcs crescendo e provando que vale a pena!
Um beijão do Dindo (hoje eu não tenho vergonha de micos...)

1:19 PM  
Blogger Marvin the Paranoid Android said...

Gente, não fui eu que escrevi inoscência... =)

2:37 PM  
Anonymous Cesco said...

é... mas parando pra pensar, o nossos problemas são restritos a nossa realidade. quando tu era pequeno, a tua realide se limitava a pouco mais que a tua casa, então os teus pais seriam o maior simbolo de poder na tua casa, isso claro, na tua ótica.

5:57 PM  

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home