Sunday, October 30, 2005

Random ramblings...

Estava pensando em sonhos. (aqueles que a gente tem quando dorme, nada a ver com planos futuros). Vocês já notaram como eles são realistas? Não me refiro à continuidade, pois todo mundo já teve aqueles sonhos que de repente a gente troca de lugar. Na verdade estou falando de realistas no sentido de as pessoas agirem com muita naturalidade, caminharem com perfeição, a iluminação estar distribuída certinho no cenário e tudo mais. A perfeição "física" do sonho. É fato sabido que simular coisas realisticamente é um problema muito complicado, que requer bastante poder de processamento. Outro exemplo: os esquizofrênicos que estão convencidos de que há alguém num lugar que na verdade está vazio. A luz do ambiente interage perfeitamente com o "modelo" da pessoa que não existe, os tecidos de suas roupas são perfeitamente simulados.. Isso requer algoritmos bastante complicados e muito poder de processamento para se fazer, especialmente em tempo real. Tentem imaginar uma bandeira tremulando. Eu pelo menos não consegui a conceber de maneira propositalmente errada, no meu mind's eye. Agora, será que o nosso cérebro realmente computa isso de modo gráfico, para nos devolver uma imagem pronta? Eu acho que não.

Pensando nisso, me surgiu a idéia de que de repente a informação visual de nossos sonhos, e até mesmo da realidade que percebemos não é um bitmap do que está ao nosso redor. Penso que a informação que está contida em nossos sonhos simplesmente diz "Aqui há uma pessoa caminhando com tal roupa." E como sabemos, de memórias passadas, que pessoas devem se comportar de determinada forma, e suas roupas de outras (ou seus cabelos, ou qualquer coisa complicada de se simular), "traduzimos" a informação conceitual de uma pessoa para um mosaico visual dessa pessoa caminhando. Ou seja, se pudéssemos retirar de alguém os dados brutos de seu sonho, não encontraríamos uma seqüência de imagens, e sim uma lista de informação, de "labels", que, quando interpretadas por nossos cérebros, se traduzem em algo parecido com uma imagem. O simples fato de acreditarmos, quando somos informados por nosso cérebro "isto é para ser uma entidade realista", faz com que a vejamos de maneira perfeita mesmo que ela não seja simulada, de fato, em todas as suas características. Dessa maneira, o cérebro não fica ocupado simulando graficamente todas as nuances e todos os detalhes da cena que vemos. Ele só precisa bolar uma "descrição" dessa cena, e, convencidos de que estamos vendo algo real, fazemos com que esta descrição tome uma forma fisicamente correta. O segredo está na credibilidade daquilo que nosso cérebro nos fornece...
--- Seção "Do dia" ---

Elvis Presley - Blue Suede Shoes

Piada do dia:


Fato imbecil do dia:
Frase do dia:
"Não paguei uns nem outros, mas saindo de almas cândidas e verdadeiras tais promessas são como a moeda fiduciária - ainda que o vendedor as não pague, valem a soma que dizem."
Machado de Assis

3 Comments:

Blogger Felipe said...

pois é... os renders do nosso cérebro são muito bons... melhor que muito HDR e Raytraces que vemos por aí :P

10:29 AM  
Anonymous norma stephan said...

Oi amor! Faz tempo né! Sabe Nando... o que mais me impressiona em ti é a facilidade de transitar em vários mundos... às vezes criança...às vezes adolescente .... Quando é necessário...um adulto proto para agir... às vezes um filósofo que se distrai ouvindo música clássica... Eu simplesmente me impressiono sempre... EU TE ADORO

11:28 AM  
Anonymous Lulu said...

O que é a vida a não ser uma reflexão de imagens na parede da caverna? =)

6:39 PM  

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home